A necessidade é a mãe da invenção.

3l int. cbordabranca

 

IMG_1601

IMG_1572

IMG_0396

pesquisa_melhores

Quase 60% dos empresários do agronegócio brasileiro estão otimistas com relação aos negócios em 2016. Eles acreditam que suas empresas devam faturar mais que no ano corrente.  Foi o que revelou pesquisa realizada na entrega do 11º Prêmio Melhores do Agronegócio, na noite de terça-feira (20/10), em São Paulo.  Pelo menos 250 empresários e executivos estavam presentes na cerimônia comandada pela revista GLOBO RURAL. A pesquisa elegeu as companhias que apresentaram os melhores resultados financeiros e sócios-ambientais no ano de 2014.

O diretor de redação da revista GLOBO RURAL, Bruno Blecher, apresentou seis questões ao público que lotou as dependências do Leopolldo, em São Paulo. Cada empresário respondia imediatamente as perguntas por meio de um aparelho digital. As respostas eram mostradas em tempo real em dois telões. 

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) do ano que vem, outro quesito da pesquisa, a grande maioria (60,1%) espera um crescimento de menos de 1%, enquanto 28,4% apontaram crescimento zero e 11% acreditam numa variação maior que 1%.

A expectativa dos empresários do campo em relação à inflação é menos otimista: 36,5% dos convidados responderam que o índice deve ficar em 11%, enquanto 27,4% apostam em 9% e 22,1% acreditam que a inflação deve superar os 11%. Apenas 13,9% dos empresários escolheram a opção 7% para 2016.

Já a taxa de juros para 2016, outra questão crucial levantada na pesquisa, praticamente dividiu as opiniões: 50,2% acreditam que ela irá superar os atuais 14%, enquanto 45% acham que deve variar entre 12% e 14%. Por fim, 4,8% dos pesquisados optaram por 11%.

Finalmente, segundo avaliação de 43,5% dos entrevistados, o dólar pode se conservar na mesma faixa de hoje – ao redor de R$ 4. Para 23,9%, a moeda americana deve ir a R$ 4,50, e 7,7% dos empresários apostam em R$ 5 ou mais.

2

1